26km pra que mesmo?!?

E não é que eu cheguei mesmo nesse tal de 26Km?!?

Confesso pra vocês que não foi fácil, depois de uma prova de 24km, saber que uma semana depois eu tinha que correr por mais 26km. Fiz um trabalho mental, mergulhei num poço profundo com águas borbulhantes e resolvi apertar o botãozinho pra não pirar. Sim. Sabe aquele botão vermelho? Então, esse mesmo. Dessa maneira evitei ficar pensando muito sobre o assunto… só fui.

Como o longão rolou no feriado de Páscoa, e a USP não estava aberta, resolvi fazer meus 26Ks percorrendo a ciclovia entre os trechos que interligam Pq. Villa Lobos e Pq. Ibirapuera. Comentei esse meu roteiro com as meninas no treino de quinta, e eis que a Thays decidiu fazer comigo os 20km que ela tinha na planilha dela. Maravilha!! Tive companhia!! 😀

Sexta a noite separei os suplementos: 2 saches de GU (gel), 1 bananinha e 1 saquinho de azeitonas (para repor o sal). 😉 Roupas arrumadas. Tudo organizado. Time to sleep.

Acordei bem cedo: 5h30. Combinei às 7hs com a Thays pra não pegarmos nem trânsito de bikes e corredores, e nem muito calor.
Me arrumei na inércia de sempre e parti pro Villa Lobos.

IMG_2109

Começamos o treino logo depois das 7h.
Já partimos pra ciclovia de cara e corremos num pace confortável. Fui na frente, dando o ritmo da corrida. Lá pelo 8km tomei meu primeiro gel. Fomos até a Sto Amaro (9,5km) e voltamos pro Pq. Villa Lobos. Na volta, a Thays foi dando o ritmo do treino. Comi meia bananinha no 15km. Não sei se estava mais cansada, se tinha mais subida, mas senti que fiz um pouco mais de esforço pra manter o ritmo.
Paramos poucas vezes durante esse trajeto. Tivemos sorte (ou não) que os faróis estavam a nosso favor. rsssss
Chegamos no parque, demos um pitstop pra abastecer as garrafinhas d’água, beber uma água de coco e fomos terminar os 2km restantes do treino da Thays.

Despedidas e fotos, eu ainda tinha mais 6K pra finalizar. Completei o treino com 2 voltas no parque, não sem antes comer minhas azeitonas, o restante da bananinha e fazer um pitstop (number 2) no banheiro.

Terminei o treino inteira. De verdade. Sem muitas dores, mas cansada. Nos 2 últimos kms dei uma acelerada pra ver se o corpo aguentava um esforço maior. E deu certo. 🙂

IMG_2112

Fiquei feliz com meu treino. Mesmo parando algumas vezes por causa de farol, despedidas e piriri. Acho que foi um ótimo teste pra sentir o que vem por aí.

Final de semana que vem o treino vai ser maior ainda. Então desde já, fazendo aquela terapia do botão pra não pirar o cabeção. 😛

Bjs e nos vemos nas pixxxtassss!!

Também estou nessas redes sociais:

redes-sociais

Anúncios

Semana em Pauta #ProjetoPartiuMaratona

Hellozes people.
Semana na correria, as usual.

Treinos entregues com (quase) 100% de sucesso!

Queria trocar ideia aqui com vocês sobre treinos de musculação.
Não é luxo, mas sim, necessário. Pro corpo aguentar uma rotina de treinos intensos para a maratona, é importante que todos os músculos e articulações estejam em perfeita harmonia. Não adianta nada termos pernas fortes se o core (abdómen) e as costas não aguentam o tranco.

Pude comprovar isso nos meus últimos longos. As pernas estão inteira, porém as costas tem ficado bem doloridas. Sinal de que os treinos de musculação não podem parar de jeito nenhum. Essa semana pedi para meu coach me passar um exercício específico pras costas. Vou colocar em prática e vamos ver se faz efeito!

Mas precisa pegar pesado?
Não necessariamente. O mais importante aqui é fortalecer os músculos pra que eles tenham resistência pra encarar os treinos longos que virão, e não se lesionar. Com músculos preparados e articulações em dia, estarei mais inteira nos treinos, sem dores e feliz da vida. Pronta pra próxima!! 😀

Foto 05-01-17 20 21 35

Bjs people
Nos vemos nas pisssstas!!! 🙂

redes-sociais

Treinos para Maratona do Rio

A partir dessa semana comecei meus treinos intensivos pra Maratona.

Como mostrado nesse vídeo abaixo, já troquei ideia com o coach Emerson Bisan sobre toda a preparação pra Maratona do Rio que acontecerá dia 18/junho.

Os treinos ficarão mais intensos gradativamente até a Maratona.
Para início, o mais importante é estar preparada fisicamente e psicologicamente. Preparar alma, corpo e mente é primordial se você quer encarar a rotina de treinos pra uma corrida de longa distância. E na Maratona, se você menosprezar, vai quebrar no final. Conheço muitas pessoas que hoje são ultramaratonistas e já quebraram nos 42km. (não porque menosprezaram, mas talvez por que não estavam preparados por inteiro)!! Então, vamos dar a essa Senhora, o devido respeito.

Treinos de força, como uma musculação não muito pesada e treinos funcionais farão parte do pacote juntamente com os treinos de corrida. Tenho alguns treinos prescritos e utilizarei eles para manter os músculos e ossos em ordem.

Os longos já foram previamente determinados pelo meu coach. Está tudo traçado, mas caso necessário, mudanças podem ocorrer.

Agora é focar na alimentação mais saudável possível, diminuir o álcool (pós carnaval) e seguir a planilha!! 😀 Mimimi esse semestre está fora de cogitação!! rssss

 

Também estou nessas redes sociais:

redes-sociais

Trilhas em São Paulo – Parque Ibirapuera

Sim. É possível treinar em trilhas sem sair da cidade de São Paulo.

O parque Ibirapuera oferece 6km de trilha. O percurso contorna todo o parque. O terreno é de terra batida, com pequenos troncos de árvores pelo caminho, alguns pontos de asfalto, sem muitos desníveis e subidas. À noite não tem iluminação, então a dica é fazer os treinos durante o dia.
Ótimo pra quem está começando na corrida trail. 😉

Trilha-do-Ibirapuera
Foto by: ativitae.com.br

Vídeo que fiz de partes do trajeto!

 

Por que suplementar nos treinos?

Por que é importante saber qual a melhor hidratação pra você na hora do longão?

Quando se está treinando para uma prova alvo, é legal fazer vários testes durante os treinos para identificar qual o melhor suplemento e repositor que se encaixa naquele momento. E os treinos longos servem exatamente para isso.

Nos meus quase 5 anos de corrida, aprendi não só com profissionais da área de nutrição e de educação física, mas também com corredores amadores, a importância de saber identificar como repor os nutrientes perdidos durante a corrida.

Dependendo do seu objetivo – meia-maratona, maratona ou até corridas de montanha – o corpo pede diferentes reposições. Cada corrida é uma corrida, cada dia é um dia. Às vezes fazemos tudo direitinho nos treinos e no dia da prova o corpo não responde como queremos. Normal. Acontece. Não estávamos num bom dia, ou tivemos um problema de saúde durante a semana. Enfim…

Vou contar um pouquinho como são os MEUS TREINOS LONGOS, e o que EU USO para repor as minhas necessidades durante a corrida. 😉

Treinos USP e Montanhas

Pra quem não sabe, meus treinos continuam focados para MEIA-MARATONA de rua e montanha. A distância das corridas pode ser a mesma, mas a hidratação e os suplementos são completamente diferentes.

Quando treino na USP, aos sábados, e tenho mais de 1h20 para correr, sei que terei que levar suplementos para repor as perdas de nutrientes e sais do corpo. Por isso levo comigo um sachê de gel da GU Energy. Já acostumei a tomar um gel a cada 45 minutos, + ou -. Sei que para mim, esse é o momento ideal para repor os carbos que meu corpo precisa para manter a performance.
Com isso, você pode se perguntar: “Então na meia maratona de rua, se você concluir a prova em 2h00, você irá tomar o sachê de GU apenas 2x, certo?”
Resposta: Errado!
No dia da prova – meia-maratona de rua – eu utilizo de uma estratégia um pouco diferente dos treinos, porém continuo me baseando no que testei nas últimas semanas. Como sei qual será meu ritmo, uso os kms a meu favor. Tomo o gel a cada 6km (em média) para não perder a performance, até porque estarei correndo mais forte e o corpo demanda uma reposição mais rápida. Ou seja, levo 3 sachês de GU para me sentir segura e poder tomar nos momentos que mais precisar, utilizando a estratégia por mim criada. 🙂

Entenda. O treino é um lugar para fazer teste. É onde pode-se errar, tentando acertar! Para fazer certo na prova, o ideal é trocar uma ideia com seu treinador. Ele irá ajudar você a entender qual o melhor momento para cada suplementação.

Agora vamos às montanhas!

Treinar para montanhas é mais complicado para quem mora em SP. É preciso se deslocar para outras cidades ou algum local distante. Por isso nossos treinos de montanhas são bem espaçados. Uma vez no mês, quem sabe… pode-se dizer que isso é até um privilégio.
E qual a solução? Subir ladeira. Mesmo que na rua, com treinos de até 20km (para quem vai para meia-maratona como eu). Só de você botar a panturrilha em “cash” na subida já é um bom começo para não sentir dores no dia da prova.

Por isso que com essas dificuldades de treino, a estratégia para a corrida de montanha é um pouco diferente. Pode-se calcular pelo percurso e altimetria quanto tempo irá se levar para completar a prova. Mas essa conta nunca é exatamente certa. Pode acontecer muita coisa no meio do caminho, como uma árvore caída, uma torção nos pés, uma cãibra, um sol de rachar o coco… enfim, uma prova de 21k que duraria 3h30 pode se transformar em 5h. E aí, como proceder? Levar sempre suplementos a mais para não passar por perrengues 😉
EU sempre levo, além de 3 sachês de GU, biscoitos ou palitinhos salgados para repor o sal, castanhas pra ter uma gordurinha extra e jujubas para açúcar! Além claro, de muita água. Mantenho sempre minha bolsa de água cheia para não ter problemas de sede. Seria legal também levar isotônicos. Ocasionalmente (eu disso ocasionalmente), os organizadores das provas oferecem para os corredores. Ou seja, leve toda a suplementação com você. 😉
Conheço corredores que levam paçoquinha, bananinha, bolinhos, azeitona… Vai de cada um o que gosta e o que se adapta melhor.

 

Provas Meia-Maratona – Rua e Montanhas

Viram só a importância de treinar, fazer testes e conhecer os suplementos e repositores antes da prova? Pode ser uma corrida que você já esteja acostumado, mas se a sua estratégia na prova é diferente da que você fez no passado, você tem que se readaptar a suplementação.

É isso runners. Dicas e ideias são sempre bem vindas.
Mas sempre, sempre, sempre converse com seu nutricionista e com seu treinador para saber o que é melhor para você. E teste durante os longos da vida para se adequar a qualquer perrengue que tiver. Melhor quebrar no treino que na prova, não é mesmo? 😉

E não esqueça nunca da água. Mesmo no frio, beba água, antes das provas, para se hidratar para a corrida e durante todo o percurso também. Não precisa se afogar no copinho todo… rsss mas pelo menos molhe a goela!! 🙂

E vocês, tem alguma dica bacana de suplementação?!? Manda aí.

Bjs runners e nos vemos nas pistas!!